Páginas

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Doce impossibilidade

É loucura estar assim mergulhada em teu mar? 
Um mar no qual possivelmente não saberei nadar? 
No entanto, preciso da tua água. 
Tua água é a chuva que molha a minha terra e fá-la germinar. 
Sem tuas chuvas, 
não mais loucas emoções, 
não mais desejo sonhador, 
não mais lindas músicas,
não mais escritos, nem poemas, 
não, ainda uma vez, 
não mais florescer de nenhuma bela flor.

Manoela Brum

Um comentário:

  1. Não raro é de alguém ausente a presença que mais se sente.
    GK

    ResponderExcluir